Dissolução e espetacularização da morte na televisão: uma visão interdisciplinar sobre o fenômeno nos telejornais brasileiros

DSpace Repository

A- A A+

Dissolução e espetacularização da morte na televisão: uma visão interdisciplinar sobre o fenômeno nos telejornais brasileiros

Show full item record

Title: Dissolução e espetacularização da morte na televisão: uma visão interdisciplinar sobre o fenômeno nos telejornais brasileiros
Author: Souza, Carlos Alberto de
Abstract: A pesquisa traz para a discussão a morte na sociedade contemporânea, tomando como ponto de partida o debate sociológico apresentado por duas correntes teóricas: uma defende que a morte foi ocultada no meio social, a outra acredita que a televisão e os meios de comunicação tornaram público o fenômeno. Diante da polêmica, decidiu-se analisar o Jornal Nacional (JN), programa jornalístico da Rede Globo de Televisão, e o Jornal da Cultura (JC), da TV Cultura, emissora educativa. Chega-se a conclusão, na investigação, que os telejornais não colaboram para tornar o fenômeno público (tal como era nas sociedades tradicionais). A notícias ao darem destaque a assassinatos, atentados terroristas, acidentes, doenças geram, junto ao público, temor a respeito do assunto morte. Por outro lado, como matéria principal dos telejornais, por despertar a curiosidade e favorecer os índices de audiência, reserva-se espaços prioritários a esta informação (ela vende), porém nem tudo pode ser exibido. Percebe-se assim uma dissonância entre o dito e o mostrado. Falasse em muitas mortes, repete-se muito as notícias (banaliza-se), mas poucas vezes ela aparece e quando isso acontece, da forma nua e crua, gera o protesto dos espectadores e inibe novas difusões. Para apresentá-la é necessário, antes, transfigurá-la, por meio de um processo de manipulação que envolve várias técnicas -corte, angulação, sonoplastia, velocidade (troca intermitente de notícias) descontextualização, dramatização. Este conjunto de elementos possibilita o tratamento e a transformação da notícia em espetáculo. E nele a ênfase é no novo, no inusitado, naquilo que chama a atenção - fogo, destruição, resgate, tensão, drama, emoção. Ao mesmo tempo em que modifica a realidade, subtraindo da imagem 'o mal', por meio de um processo de estetização, a TV ao noticiar a morte dos outros contribui para disseminar o mito da imortalidade, como também torna imortal os famosos, os ricos e as personalidades do mundo social.
Description: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-graduação em Ciências Humanas.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/101570
Date: 2005


Files in this item

Files Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show full item record

Search DSpace


Browse

My Account

Statistics

Compartilhar