Caracterização das funções e padrões de uso e ocupação do solo no centro de Florianópolis (SC)

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Caracterização das funções e padrões de uso e ocupação do solo no centro de Florianópolis (SC)

Mostrar registro completo

Título: Caracterização das funções e padrões de uso e ocupação do solo no centro de Florianópolis (SC)
Autor: Bortoluzzi, Silvia Delpizzo
Resumo: A preocupação com o meio ambiente deve começar pela busca do conhecimento do espaço geográfico, tendo em vista o ordenamento territorial, caracterizado pela sua paisagem. A superfície urbana é extremamente heterogênea. Em uma única cidade, encontram-se zonas com características distintas quanto aos tipos de edificações predominantes, seu grau de adensamento e verticalização, tipo e intensidade de uso a que são submetidas. A funcionalidade de um ambiente urbano está relacionada com a distribuição racional das atividades humanas dentro da malha urbana, permitindo que os fluxos necessários para o desenvolvimento das mesmas se concretizem de forma equilibrada. A rotina diária de uma população urbana envolve atividades básicas vinculadas com a habitação, trabalho, recreação e circulação. O presente estudo tem como objetivo o mapeamento do uso atual do solo no centro de Florianópolis (SC), visando a análise de padrões e funções do uso e ocupação do solo para fins urbanos, tendo em vista as características ambientais, demográficas e as normas legais vigentes. Através dos recursos de Geoprocessamento, chegou-se a resultados e índices interessantes. Pode-se identificar os locais em que a densidade atual não está de acordo com a proposta no Plano, gerando uma densidade populacional superior à planejada, e outros locais onde há ainda uma capacidade de adensamento. Observou-se uma boa distribuição entre os espaços públicos e privados, com uma relação de 63.2% para os espaços de uso privado e 36.8% para os espaços de uso público. Concluiu-se também que, no Centro de Florianópolis, a proporção de áreas livres e edificadas superam as planejadas pelo Plano Diretor. Os espaços livres de uso público do Centro de Florianópolis correspondem a 395.567m², conferindo um Índice de Espaços Livres Públicos médio de 9,0 m²/hab e um Índice de áreas de lazer públicas de 6,3m²/hab. A possibilidade de se conhecer espacialmente as características estudadas, através da cartografia digital e das demais ferramentas utilizadas no decorrer da pesquisa, foi importante para as análises e identificação dos conflitos e alterações, tendo sido possível estabelecer comparações entre a realidade atual e a legislação vigente, como forma de constituir bases para o planejamento urbano e ambiental da cidade.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil.
URI: http://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/101556
Data: 2004


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
207540.pdf 2.424Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar