Hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus em adultos e idosos cadastrados no Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade de Florianópolis, SC

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus em adultos e idosos cadastrados no Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade de Florianópolis, SC

Mostrar registro completo

Título: Hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus em adultos e idosos cadastrados no Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade de Florianópolis, SC
Autor: Silva, Catiuscie Cabreira da
Resumo: Introdução: Dentre as doenças crônicas não transmissíveis, as prevalências de hipertensão arterial sistêmica (HAS) e diabetes mellitus (DM) entre adultos e idosos vêm aumentando nos últimos anos. Objetivo: Estimar a prevalência de HAS e DM e fatores associados entre adultos e idosos que participaram do cadastramento familiar no Sistema Único de Saúde (SUS) na cidade de Florianópolis / SC em 2011, e verificar a evolução temporal dessas doenças no período entre 2004 e 2011. Métodos: Estudo descritivo e analítico com base em dados secundários provenientes do cadastramento familiar no SUS em Florianópolis, nos anos de 2004 a 2011. As análises foram realizadas utilizando-se o programa estatístico STATA, versão 11.0. Para o ano de 2011, foi feito o cálculo da prevalência e associação de HAS, DM e de HAS e DM combinadas segundo sexo, faixa etária, escolaridade e distritos sanitários de saúde. Os demais anos foram incluídos apenas na análise da evolução temporal das prevalências dessas doenças, sendo feita uma padronização direta por faixa etária. Resultados: Na cidade de Florianópolis, no ano de 2011, foram cadastrados no SUS 52.556 adultos e idosos entre 20 e 109 anos. As prevalências de HAS e DM foram, respectivamente, de 13,5% (IC95% 13,2-13,8) e 4,2% (IC95% 4,0-4,4), enquanto que a prevalência combinada de HAS e DM foi 2,9% (IC95% 2,8-3,1). As prevalências dos três desfechos foram maiores entre as mulheres, os idosos, as pessoas menos escolarizadas e pessoas residentes nos distritos sanitários, Continente e Sul. Para HAS e DM combinadas a prevalência observada (2,9%) não apenas foi maior do que a prevalência esperada ao acaso (0,6%; obtida pela multiplicação das prevalências observadas para o desfecho), como também a relação foi maior do que 1,0 para quase todas as categorias das variáveis de exposição. Após análise ajustada, a associação entre DM e sexo foi excluída (p<0,949). Pessoas idosas com 80 anos ou mais tiveram 61,2 vezes mais chance de apresentar HAS quando comparados com adultos entre 20 a 39 anos. Para DM, idosos com 60 a 79 anos tiveram as maiores chances da doença (RO: 14,4) em relação aos adultos entre 20 a 39 anos. Para escolaridade as chances de apresentar HAS ou DM foram similares entre pessoas com 0 a 4 ou 5 a 8 anos de estudo. A prevalência de HAS passou de 7,0% em 2004 para 13,5% em 2011 (aumentou em média 0,8 pontos percentuais (p.p.) / ano). Para DM passou de 2,2% em 2004 para 4,2% em 2011 (aumentou em média 0,26 p.p. / ano). Conclusão: Os resultados apresentaram prevalências de HAS e DM menos elevadas quando comparadas às prevalências relatadas na literatura científica no Brasil. Entretanto, as prevalências de HAS e DM dobraram no período entre 2004 e 2011. O crescimento nas prevalências de HAS e DM, e as associações encontradas neste estudo, são importantes para o planejamento de ações voltadas para a prevenção destes agravos e promoção da saúde na atenção primária.Introduction: Amongst non-transmissible chronic diseases, the prevalence of arterial hypertension (AH) and diabetes mellitus (DM) in adults and elderly people has been increasing in recent years. Objective: To estimate the prevalence of AH and DM and association factors among adults and elderly people who participated in the household registration of the Unified Health System (UHS) in Florianópolis / SC in 2011, and verify the temporal evolution of these diseases between 2004 and 2011.Methods: A descriptive and analytical study was undertaken, based on secondary data from the household registration process of the UHS in Florianópolis, in the years of 2004 to 2011. The descriptive and analytical analysis were performed using the statistical software STATA, version 11.0. For the year 2011, the prevalence and association of AH, DM and AH and DM combined was calculated according to sex, age, level of education, and sanitary health districts. All the other sampled years were included only in the analysis of the temporal evolution of the prevalence of these diseases, and direct adjusted according to age. Results: In the city of Florianópolis, in the year 2011 were enrolled in the SUS 52,556 adults and seniors between 20 and 109 years. The prevalence of isolated AH and DM was 13.5% (95% CI 13.2 to 13.8) and 4.2% (95% CI 4.0 to 4.4), respectively, whereas the prevalence of AH and DM combined was 2.9% (95% CI 2.8 to 3.1). The prevalence of the three outcomes was higher among women, elderly, less educated people and people living in the Continental and South health districts. The prevalence for AH and DM combined (2.9%) was not only greater than the random expected prevalence (0.6%, product of the prevalence of each outcome) but also the ratio was greater than 1.0 on almost all the types of exposure variables. After adjusted analysis, the association between DM and gender was excluded (p<0.949). Older people aged 80 or more had 61.2 times more likely have AH when compared with adults aged 20 to 39 years. For DM, people between 60 and 79 years of age had the highest chance of disease (OR: 14.4) compared to adults from 20 to 39 years of age. For education, the chances of having AH or DM were similar among people with 0-4 or 5-8 years of education. The prevalence of AH increased from 7.0% in 2004 to 13.5% in 2011 (an average increase of 0.8 percentagem points (p.p.) / year). The prevalence of DM went from 2.2% in 2004 to 4.2% in 2011 (an average increase of 0.26 p.p. / year). Conclusion: The results showed prevalence of AH and DM less high when compared to the prevalence reported in the scientific literature in Brazil. However, the prevalence of hypertension and diabetes doubled between 2004 and 2011. The growth in the prevalence of AH and DM, and the associations found in this study are important for planning actions for the prevention of these diseases and health promotion in primary care.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Saúde. Programa de Pós-Graduação em Nutrição.
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/101019
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
310517.pdf 1.359Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar