As trajetórias da certificação florestal dos standards do Conselho de Manejo Florestal - FSC

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

As trajetórias da certificação florestal dos standards do Conselho de Manejo Florestal - FSC

Mostrar registro completo

Título: As trajetórias da certificação florestal dos standards do Conselho de Manejo Florestal - FSC
Autor: Mattiello, Rafael
Resumo: O objetivo geral desta tese é contribuir ao crescente corpo teórico da sociologia ambiental. A teoria da modernização ecológica trata da necessidade de readequação ambiental oriunda dos principais atores envolvidos nos processos de crescimento e desenvolvimento industrial do capitalismo contemporâneo. Argumentamos que a modernização ecológica está relacionada à emergência de práticas responsáveis por intermédio da construção de standards por autoridades privadas especializadas. Analisamos as transformações sociais que permitiram a introdução de mecanismos privados de manejo florestal responsável e suas implicações político-sociológicas através de um estudo de caso dos processos e conflitos em torno dos standards do Conselho de Manejo Florestal - FSC. Defendemos que a (alta)modernidade sob uma condição de globalização se caracteriza por riscos e incertezas, demandas e expectativas, necessidades e oportunidades intrínsecas à própria dinâmica de reflexividade deste fenômeno, o que gera novas possibilidades e reanálises em todos os âmbitos. As empresas standards foram criadas, implementadas e cada vez mais legitimadas por todos para estabelecer novas práticas econômicas/administrativas/fabris/ socioambientais que dessem conta da expectativa da sociedade como um todo. Dentro desta abordagem caracterizada pelos fluxos, redes e pela modernização reflexiva/ecológica é analisada a emergência e o desenvolvimento do standard de manejo florestal mais respeitado e amplamente utilizado pela indústria de madeira, papel, celulose e embalagens, gráficas - os standards do FSC, com seus conflitos e discrepâncias nesta ampla rede de atores sociais in-the-making, através de duas etapas de certificação florestal: a definição de normas e a implementação delas. São analisadas as certificações da Klabin (realizada pelo Imaflora) e da Veracel (realizada pela SGS) e ao mesmo tempo as características reflexivas, conflituosas, ideológicas e discursivas destes standards. Por fim são dadas algumas recomendações para serem debatidas visando o aprimoramento característico e contínuo do sistema FSC.The aim of this thesis is to contribute to the growing body of literature on environmental sociology. The theory of ecological modernization exposes the need for environmental adjustment of the main actors involved in the processes of industrial growth and development of contemporary capitalism. We argue that ecological modernization is related to the emergence of responsible practices through the construction of private standards by specialized authorities. Hence, we analyze the social changes that allowed the introduction of private mechanisms for responsible forest management and its implications in a political-sociological study of the processes and conflicts involved in a case study of the Forest Stewardship Council standards. We contend that the (high)modernity under a condition of globalization is characterized by risks and uncertainties, demands and expectations, needs and opportunities inherent to the dynamics of this phenomenon of reflexivity, which creates new possibilities and reanalysis in all areas. Specifically business standards were created, implemented and increasingly legitimized to establish new economic/administrative/ manufacturing/socioenvironmental practices that account to the expectation of the entire society as a whole. Within this approach characterized by flows, networks and through the theory of reflexive/ ecological modernization we analyze the emergence and development of the forest management standard that is most respected and widely used by the wood, pulp and paper, packaging and printing industries - the standards of the FSC. We focused in the conflicts and discrepancies of this extensive network of social actors in-the-making through the two stages of forest certification: setting the standards and its implementation. Thus, it is considered the certification of Klabin performed by Imaflora (SmartWood/Rainforest Alliance) and Veracel conducted by SGS, while it analyzes the reflexive, conflicted, ideological and discursive characteristics of those standards. Finally some recommendations are given to be discussed aiming at the characteristic continuous improvement of the FSC system.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política.
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100992
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
309742.pdf 12.42Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar