Por uma crítica ao capital humano: utopias e distopias na formação dos jovens estudantes de ensino médio na grande Florianópolis

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Por uma crítica ao capital humano: utopias e distopias na formação dos jovens estudantes de ensino médio na grande Florianópolis

Mostrar registro completo

Título: Por uma crítica ao capital humano: utopias e distopias na formação dos jovens estudantes de ensino médio na grande Florianópolis
Autor: Carvalho, Giane Carmem Alves de
Resumo: A presente tese destaca o tema Juventude, Trabalho e Educação onde se tem como abordagem a crítica à teoria do capital humano e o olhar atento da aplicabilidade desta teoria aos jovens do Ensino Médio. As discussões teórico-críticas visam situar a condição da juventude em seus processos de formação via escola-trabalho partindo da crítica ao princípio da teoria do capital humano, enunciado por Theodoro Schultz, onde a educação é considerada um investimento para o setor produtivo capitalista. Diante disto, o objetivo central deste estudo foi analisar de que forma os jovens avaliam a sua formação educativa, durante o Ensino Médio, visando identificar quais são suas críticas e expectativas existentes sobre o modelo do mercado de trabalho que tem como foco o capital humano. Os diálogos teóricos que visam compreender a juventude neste processo ocorreram com autores que enfocam a centralidade do trabalho (Antunes), a crítica a teoria do capital humano e a sociedade do conhecimento (Frigotto), a dualidade do Ensino Médio (Kuenzer), bem como, as discussões teóricas no campo da sociologia da juventude (Foracchi, Mannheim, Sousa, Margulis...). Em torno deste debate elencaram-se subsídios teóricos para pensar uma epistemologia da juventude sobre as concepções do materialismo histórico dialético para identificar, em primeira instância, as condições do sujeito jovem na estrutura social. Associada a esta preocupação a pesquisa também contemplou um estudo estatístico sobre os principais indicadores sociais sobre juventude no Brasil com fim de evidenciar o colapso das proposições práticas impostas pela teoria do capital humano. Ao convergir os propósitos da pesquisa para o estudo empírico verificou-se nas quatro escolas públicas de Ensino Médio da região da grande Florianópolis (duas escolas da rede estadual e duas da rede federal) a comprovação da tese do "capital humano juvenil" associado à alienação dos jovens enquanto estudantes que são confinados a lógica individualista e competitiva do mercado onde se exige uma autonomia para aprender, mas, não possibilita nenhuma autonomia para viver. Eis, um indicativo para rever as atuais políticas de educação no Ensino Médio no Brasil, no sentido de levar em consideração as especificidades dos jovens, as orientações sobre suas escolhas e inserção nos diferentes ensinos médios e numa conjuntura mais ampla perceber que a teoria do capital humano juvenil não funciona nem para uma formação integral humana nem para os propósitos dos detentores de capital.<br>Abstract : This thesis highlights the theme Youth, Work and Education, which presents as its approach a critique to the Human Capital Theory and a closer look at it for its applicability to young Brazilian high school students. The theoretical and critical discussions aim at situating the condition of youth in their educational development via school-work departing from the critique to the main principle of the theories of human capital, enunciated by Theodore Schultz, where education is considered an investment for the capitalist productive sector. Given this, the main objective of this study was to examine how young people assess their educational process during the high school period to identify their expectations and criticisms about the human capital focused model of labor market. The theoretical dialogues that aim at understanding the youth in this process occurred with authors who focus on the centrality of work (Antunes), the critique to the Human Capital Theory and the knowledge society (Frigotto), the duality of Secondary Education (Kuenzer), as well as the theoretical discussions in the classics of sociology of youth (Foracchi, Mannheim, Sousa, Margulis...). Around this debate a theoretical basis was employed to think about an epistemology of youth concerning the concepts of dialectical and historical materialism to identify, in a first moment, the conditions of the young subject in the social structure. Associated with this concern this work also included a statistical study on key social indicators about youth in Brazil to expose the collapse of practical propositions imposed by the Human Capital Theory. By converging the purposes of this research to the empirical study it was found in four public high schools in the region of Florianopolis (two state schools and two federal schools) the confirmation of the thesis of the "youth human capital" associated with the alienation of the young students who are confined to the competitive and individualistic logic of the market which demands autonomy for learning, but does not enable any autonomy for living. Here is an indication to review the current educational high school policies in Brazil, in the sense of taking into account the specificities of youth, guidance on their choices and their insertion into the different Secondary Education environments, and in a broader context perceive that the Human Capital Theory does not work neither for an integral human development nor for the purposes of the capital owners.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Florianópolis, 2012
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100695
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
312702.pdf 3.174Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar