De monstros a anormais: a construção da endocrinologia criminal no Brasil, 1930 a 1950

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

De monstros a anormais: a construção da endocrinologia criminal no Brasil, 1930 a 1950

Mostrar registro completo

Título: De monstros a anormais: a construção da endocrinologia criminal no Brasil, 1930 a 1950
Autor: Oliveira Júnior, Alcidesio de
Resumo: Tematicamente a Tese aborda a relação entre comportamento humano e corporeidade. Fazendo o resgate histórico de teorias criminológicas, que relacionavam distúrbios orgânicos com distúrbios comportamentais e os comportamentos sociais, assim possibilitando, posteriormente, a construção do endocrinopata criminal. Cronolo- gicamente enfatiza o período entre a década de 1930 e a de 1950. Geograficamente, examina os casos brasileiros, na maior parte, relatados no Rio de Janeiro e São Paulo, mas para tratar dos aspectos teóricos que envolveram esta discussão no período, remete à ideia de teia, que tem suas tramas percorrendo toda América e Europa. Defende que, dentro da criminologia, houve uma endocrinologia criminal, e que esta corrente dialogava com outras e gozava de grande prestígio, sobretudo entre médicos legistas, psiquiatras forenses e membros do aparelho de Estado. Por meio deles, ela transitava e acoplava-se a outras, daí surgindo uma farta produção teórica, além de consequências materiais e práticas no cotidiano de instituições e da sociedade como um todo. A associação entre comportamento social e glândulas endócrinas não teria se limitado aos contornos criminológicos e o teria extrapolado, influenciando outras áreas, como a sociologia, literatura e indústria farmacêutica. Pretende indicar qual o processo histórico que permitiu a ascensão deste saber especializado, e como este saber pôde ser sentido como estratégia investida nos indivíduos. As fontes primárias consultadas para sua confecção são artigos e casos publicados em periódicos. Os três principais periódicos são: os Archivos do Manicômio Judiciário do Rio de Janeiro, a Revista da Sociedade Brasileira de Criminologia e os Archivos da Sociedade de Medicina Legal e Criminologia de São Paulo. Também são utilizados livros-textos e manuais de endocrinologia e criminologia, escritos por autores importantes nas áreas médica e forense deste período. Está dividida em três partes. A primeira aborda a concepção sobre o indivíduo considerado criminoso do século XVI ao XVIII. A segunda trata do esquadrinhamento deste indivíduo pela criminologia no século XIX. Estas duas partes introdutórias, buscam elencar alguns elementos que ajudam a responder a seguinte questão: qual o contexto de possibilidades que permitiu o aparecimento da criminologia, e dentro desta a endocrinologia criminal? Três direções são apontadas para a construção desta resposta: a área jurídica, a área da medicina mental e a área antropológica. Por fim, a terceira parte desta Tese, trata da relação entre endocrinologia e criminologia no século XX e da relação entre comportamento social e glândulas fora da criminologia.<br>Abstract : Thematically it addresses the relationship between human behavior and corporality. Making the historical restoration of endocrine theories in criminology, which related organic disorders with behavioral disorders and social behavior, thus enabling the construction of criminal endocrinopata. Chronologically confined between the 1930 and 1950. Geographically, working with Brazilian cases, mostly reported in Rio de Janeiro and Sao Paulo, in order to address the theoretical aspects involved in this discussion period, it refers to the idea of web, which has its weaving traveling across America and Europe. It argues that, within criminology, there was a criminal endocrinology, and that this current dialogued with others and enjoyed great prestige, especially among medical examiners, forensic psychiatrists and members of the state apparatus. Through them, it passed through and docked to others, then emerging a rich theoretical production, beyond material consequences in day-to-day life and practices of institutions and society as a whole. The association between social behavior and endocrine glands have not been limited to the criminology shape and have extrapolated, influencing another areas, such as sociology, literature and the pharmaceutical industry. It is intended to indicate the historical process that allowed the rise of this specialized knowledge, and how this knowledge could be felt as a strategy invested in the individual. The primary sources consulted in this paper are articles and cases published in journals. The top three journals are: Archivos do Manicômio Judiciário do Rio de Janeiro, Revista da Sociedade Brasileira de Criminologia and Archivos da Sociedade de Medicina Legal e Criminologia de São Paulo. It also used endocrinology and criminology textbooks and manuals, written by important authors in the medical and forensic literature in that period. It is divided into three parts. The first are deals with the conception of the individual considered criminal the at sixteenth to the eighteenth century. The second are deals with the scrutinizing of this individual by criminology in the nineteenth century. These two introductory parts, try to list some elements that help to answer the following question: which particular opportunities allowed the emergence of criminology and, within it, the criminal endocrinology? Three directions are given for the construction of this response: the legal area, the area of mental medicine and the anthropological field. Finally, the third part of this thesis deals with the relationship between endocrinology and criminology in the twentieth century and the relationship between social behavior and glands, outside criminology.
Descrição: Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História Cultural, Florianópolis, 2012
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100685
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
314228.pdf 5.454Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar