Por trás dos muros: socialização ou ressocialização nas experiências e trajetórias de vida dos jovens no presídio masculino de Florianópolis

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Por trás dos muros: socialização ou ressocialização nas experiências e trajetórias de vida dos jovens no presídio masculino de Florianópolis

Mostrar registro completo

Título: Por trás dos muros: socialização ou ressocialização nas experiências e trajetórias de vida dos jovens no presídio masculino de Florianópolis
Autor: Soares, Hellen Cristina Ribeiro
Resumo: Esta dissertação é resultado da pesquisa etnográfica realizada com os jovens do Presídio Masculino de Florianópolis. A metodologia utilizada foi de abordagem quali-quantitativa. De modo mais especifico focamos nossa análise nos modos de vida, nas experiências e trajetórias de vida de jovens de 18 a 24 anos, que respondem ao crime de tráfico de drogas e estão cumprindo pena naquela institução. O objetivo central desta pesquisa foi investigar e analisar como o jovem vive a condição social da juventude no sistema prisional, visto que este segmento se encontra em maioria significativa nos presídios brasileiros. Identificou-se que a ressocialização pela segregação se configura como uma prática ineficaz e que não obtêm resultados favoráveis na reintegração do jovem à sociedade, fato que pode ser constatado pelo alto índice de reincidência. Verificou-se ainda, que as estratégias adotadas pelo sistema prisional invariavelmente causam no individuo principalmente nos jovens um efeito contrário àquele que se espera da pena, visto que ao passar por violações institucionais o condenado passa a se sentir uma vítima e não mais o autor de violência. Apesar, do poder e do controle exercido pela instituição sob os presos tornou-se evidente que entre os mais jovens existe uma resistência em não se limitar a condição de preso e tentar imprimir uma marca, uma personalidade que os distinguisse do status de preso.This dissertation is the result of an ethnographic research with young men in the Male Prison of Florianópolis. The methodology applied was a qualitative and quantitative approach. In a more specific way, the focus of the analysis is on lifestyles, experiences and life#s trajectories of young people aged between 18 and 24 years old, who are serving time in that institution for drug trafficking. The main purpose of this research was to investigate and analyze how these young men live the social condition of youth in the prison system, since this segment represents the large majority of prisoners in Brazilian prisons. It was found that the practice of rehabilitation by segregation is an inefficient one and does not obtain favorable results in the reintegration of the young offenders into society, which can be evidenced by the high rates of recurrence. It was also found that the strategies adopted by the prison system invariably cause in the individual, especially in young men, an opposite effect to that expected in the sentence, because after passing through institutional violations the offender begins to feel more like a victim and less like the author of a crime. Despite the power and control imposed by the institution upon them, it became evident that among the young prisoners there is a resistance that attempts to not limit oneself to the condition of prisoner, but to try to leave a mark and to develop a personality that distinguish them.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100618
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
309853.pdf 1.285Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar