Macrófitas marinhas da Ilha de Santa Catarina, Brasil

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Macrófitas marinhas da Ilha de Santa Catarina, Brasil

Mostrar registro completo

Título: Macrófitas marinhas da Ilha de Santa Catarina, Brasil
Autor: Batista, Manuela Bernardes
Resumo: O conhecimento da dinâmica temporal na estrutura das comunidades de organismos em seus ecossistemas é essencial na avaliação da influência das perturbações antrópicas. Com o objetivo de descrever a estrutura das comunidades de macrófitas da região entre marés da Ilha de Santa Catarina (ISC), bem como suas variações temporais e avaliar a influência de descritores ambientais na sua estruturação, realizamos coletas qualitativas em 21 pontos amostrais distribuídos ao longo da ISC. As coletas foram conduzidas de forma a promover uma cobertura significativa dos ambientes e das distintas fisionomias das comunidades de algas, optando sempre por locais onde havia informações pretéritas acerca da distribuição da flora para posteriores comparações. Os fatores ambientais considerados foram: complexidade do costão, estimada visualmente em cada costão coletado e setorização, adquirida de acordo com a posição geográfica e o nível de energia ambiental, aqui compreendida como ondas e ventos. Além destes fatores ambientais foram estimadas a porcentagem de urbanização e o índice de coliformes fecais. Para a visualização da setorização da ilha em relação à distribuição das espécies foi realizada uma análise multivariada de Escalonamento Multidimensional (MDS), a mesma aplicada na setorização em relação às variáveis ambientais. Para avaliar quais fatores ambientais mais interferem na distribuição das espécies foi realizada a análise de BEST, utilizando o coeficiente de correlação de Spearman. A complexidade estrutural dos costões e a urbanização foram às variáveis ambientais que apresentaram maiores valores de correlação com a distribuição das espécies, a primeira positiva e a segunda negativamente. Foram encontradas 163 espécies sendo 96 Rhodophyta, 34 Phaeophyceae e 31 Chlorophyta. A riqueza específica variou entre os locais destacando-se Ponta das Canas com maior número de espécies (84) e Santo Antônio de Lisboa com menor número (24 espécies). Nossos estudos adicionaram 67 novas referências para a flora da ISC, que somadas aos dados da literatura totalizam 188 espécies de macroalgas e 2 angiospermas marinhas. Dentre as novas ocorrências para o sul do Brasil destacam-se três espécies de Halymenia e a angiosperma Halodule wrightii.In order to evaluate the influence of anthropic disturbances in the environment, knowing the temporal dynamics of organism#s communities is crucial. To understand and describe the macrophytes' community structure of the intertidal region of Santa Catarina#s Island (ISC), as well as the temporal variations of these communities, and also the influence of environmental variables, we performed qualitative sampling campaigns in 21 sites along ISC. The sites were selected considering previous studies with macrophytes communities and also intending to record the distinct physiognomies of algae communities. The environmental variables used in this work were: complexity of the rocky reef estimated visually and sectorization, considered regarding the geographic position of the sector and level of environmental energy which comprehends winds and hydrodynamics. Moreover, the percentage of urbanization and fecal coliforms were also recorded. Also, in order to highlight the patterns of species distribution for each distinct sector, we performed a Multidimensional Scaling Analysis (MDS), which was also used to explore environmental patterns for each sector. The BEST analysis using Spearman#s coefficient index was performed a posteriori to verify which environmental variable interfered strongly in the distribution of species. Structural complexity of the rocky reefs and urbanization were the environmental variables which were strongly correlated with species distribution, the first positively and the second negatively. We found 163 species: 96 Rhodophyta, 34 Phaeophyceae and 31 Chlorophyta. Species richness varied among sites and Ponta das Canas presented the highest species richness (84) and Santo Antônio de Lisboa presented the lowest (24 species). In this work we added 67 new records to ISC#s flora, which added those added to previous references, total 188 macroalgae species and 2 marine angiosperms. Among these new records for southern Brazilian coast we should highlight three species of Halymenia and the angiosperm Halodule wrightii.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Biológicas. Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100514
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
310068.pdf 2.306Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar