Credibilidade no discurso jornalístico: tradição e autoridade nos editorias da Folha de S. Paulo no marco de seus 90 anos

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Credibilidade no discurso jornalístico: tradição e autoridade nos editorias da Folha de S. Paulo no marco de seus 90 anos

Mostrar registro completo

Título: Credibilidade no discurso jornalístico: tradição e autoridade nos editorias da Folha de S. Paulo no marco de seus 90 anos
Autor: Oliveira, Cândida de
Resumo: A credibilidade jornalística apresenta-se como um dos elementos essenciais para sustentação do jornalismo, conferindo legitimidade às práticas, aos materiais, aos profissionais e às empresas jornalísticas perante o público e a sociedade e, com isso, possibilitando o exercício do poder simbólico. É um conceito construído no processo de institucionalização do jornalismo, fazendo parte da matriz ideológica que o configura discursiva e historicamente, marcando na ordem do discurso jornalístico as vontades "de saber" e "de poder". Assim, através das formas clássicas, o discurso jornalístico indica um dever-ser e um fazer-saber específico, dos quais deriva a competência e a autoridade que nutrem a credibilidade enquanto capital simbólico do jornalismo, autorizando os sujeitos inscritos no campo a ocupar o lugar que ocupam e a enunciar do modo como enunciam. Esta pesquisa investiga como a credibilidade, na sua relação com o conceito de capital simbólico, é engendrada no funcionamento do discurso jornalístico, empreendendo um gesto de leitura de recortes extraídos dos editoriais publicados na Folha de S. Paulo no ano de 2011, marco dos 90 anos do jornal. Para tanto, busca uma aproximação entre estudos inscritos na Teoria do Jornalismo, conceitos derivados de teorias nos campos da Sociologia e da Filosofia, e o referencial teórico-metodológico da Análise do Discurso francesa. Tensionando o discurso jornalístico na atualidade, o estudo assinala a auto e correferência como importantes operadores discursivos que formam/projetam/produzem no discurso imagens e sentidos que retomam preceitos tradicionalmente instituídos, os quais interferem na credibilidade. As marcas discursivas identificadas nos textos analisados mostram que a Folha enquanto sujeito enunciador de seu discurso representa-se através de formas diversas e dispersas para galgar credibilidade. O gesto de leitura indica um lugar marcado pela pretensão de estabelecer verdades e o rumo dos acontecimentos, fazendo prevalecer a opinião daqueles que se identificam com o ponto de vista do jornal, mas disfarçado na imagem - ilusória - de um discurso democrático, reconhecido e aprovado por todos. Na trama discursiva, a credibilidade surge como efeito potencializado pela autopromoção e autolegitimação.<br>Abstract : Journalistic credibility is presented as an essential element for sustaining journalism, conferring legitimacy on practices, materials, professionals and media companies to the public and society and thereby enabling the exercise of symbolic power. It is a concept built on the process of institutionalization of journalism as part of the ideological matrix that sets the discursive and historically, marking the order of journalistic discourse wills "to know" and "power". Thus, through the classical forms, journalistic discourse indicates a duty-to-be and a specific knowledge, which derives the power and authority that nourish the credibility of journalism as symbolic capital, allowing the subjects enrolled in the field to occupy the place that occupy and to enunciate how they enunciate. This research investigates how the credibility in its relationship with the concept of symbolic capital, is engendered in the functioning of journalistic discourse, from the reading of clippings taken from editorials published in Folha de S.Paulo in 2011, the 90th anniversary of the newspaper. Therefore, it seeks a rapprochement between studies included in Journalism Theory, concepts derived from theories in the fields of Sociology and Philosophy, and the theoretical and methodological framework of French Discourse Analysis. Tensing journalistic discourse today, the study points to self and co-reference as important discursive operators that form/design/produce images and meanings in speech returners precepts traditionally imposed, which interfere with credibility. The brands identified in discursive texts analyzed show that Folha while the enunciator subject of his speech represents himself through various forms and dispersed to get credibility. The act of reading indicates a place marked by the desire of establish truths and course of events, making prevail the opinion of those who identify with the viewpoint of the newspaper, but disguised in the image - illusory - of a democratic discourse, recognized and approved by all. In discursive, credibility emerges as effect enhanced by the self-promotion and self-legitimation.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Comunicação e Expressão, Programa de Pós-Graduação em Jornalismo, Florianópolis, 2012
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100454
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
311586.pdf 4.123Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar