Educação permanente como ferramenta para o aprimoramento das práticas de controle de infecção hospitalar

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Educação permanente como ferramenta para o aprimoramento das práticas de controle de infecção hospitalar

Mostrar registro completo

Título: Educação permanente como ferramenta para o aprimoramento das práticas de controle de infecção hospitalar
Autor: Massaroli, Aline
Resumo: As infecções relacionadas à assistência à saúde constituem-se em um problema de grande relevância, que precisa ser constantemente trabalhado junto à equipe para que se consiga controlar a sua incidência nas instituições de saúde. Em função da situação que havia se instalado, foi publicada uma resolução que tornou obrigatórias a implantação e a permanência das Comissões de Controle de Infecções Relacionadas à Saúde. Desde o início, uma das competências dessas comissões era a capacitação dos profissionais de saúde, visando promover a prevenção e o controle das infecções relacionadas à assistência à saúde. A capacitação dos profissionais ainda é reconhecida como uma atividade essencial na atuação dessas comissões. Em 2004, o governo federal, deparando-se com a necessidade de desenvolver novas políticas visando à capacitação dos recursos humanos da área da saúde para a consolidação do Sistema Único de Saúde, publica a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, com o intuito de gerar condições favoráveis para a formação e desenvolvimento dos recursos humanos para a saúde. Esta pesquisa teve o objetivo de conhecer como os Serviços de Controle de Infecção Hospitalar de hospitais de médio e grande porte das Regiões de Saúde de Blumenau, Itajaí e Balneário Camboriú têm desenvolvido a Educação Permanente com vistas a promover a prevenção e o controle das infecções hospitalares. Constituiu-se em uma pesquisa com abordagem qualitativa, do tipo exploratório descritivo. A coleta de dados se deu por meio de entrevista semiestruturada com os profissionais médicos e enfermeiros das Comissões de Controle de Infecções Relacionadas à Saúde(,) de hospitais de médio e grande porte das Regiões de Saúde de Blumenau, Itajaí e Balneário Camboriú do Estado de Santa Catarina. Os dados foram analisados através da análise de conteúdo, proposta por Bardin. A pesquisa seguiu os princípios da Resolução 196/96, sendo submetida ao Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da Universidade Federal de Santa Catarina, aprovada pelo Parecer nº 2293/2012. Os resultados deste estudo evidenciaram que as Comissões de Controle de Infecções Relacionadas à Saúde têm buscado desenvolver a educação entre os profissionais de saúde de suas instituições, ficando clara a importância que atribuem à educação para o desenvolvimento de ações de prevenção e de controle das infecções. A estruturação desse processo se dá por meio da elaboração de cronogramas anuais englobando os temas mais relevantes para a área de controle e prevenção de infecções, participando dessa construção, na maioria das comissões, os profissionais médico e enfermeiro, sendo por vezes envolvidos os demais profissionais. Observou-se, ainda, que, na maioria das comissões, o profissional que desenvolve toda a parte educativa relacionada ao controle de infecções no ambiente hospitalar é o enfermeiro, sendo que o médico que desenvolve as atividades na Comissão se isenta desta responsabilidade junto à equipe de profissionais de saúde, bem como da educação junto a seus colegas médicos. Destaca-se também a dificuldade encontrada por todos os Serviços de Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde em englobar e atingir os médicos neste processo educativo visando à promoção do controle e da prevenção das infecções. Ao investigar os meios utilizados para atingir este objetivo, encontram-se a utilização de aulas expositivas utilizando apresentações em programas de slides, atividades práticas, dinâmicas de grupo, divulgação de protocolos com rotinas assistenciais, visitas técnicas aos setores e unidades com retorno dos resultados aos envolvidos, apontando as conformidades e inconformidades encontradas, bem como apresentando sugestões para modificação da realidade local. Percebe-se que os processos educativos desenvolvidos pelos Serviços de Controle de Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde aproximam-se das recomendações da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde, quando tentam encontrar no dia a dia dos profissionais os principais problemas e dificuldades, trabalhando-os com a equipe de saúde por meio de atividades educativas. Entretanto, ainda há o predomínio da utilização de métodos tradicionais de ensino aprendizagem, bem como uma carência do emprego de metodologias ativas e problematizadoras nestes processos educacionais. Sendo necessário que os profissionais controladores de infecção considerem inicialmente a necessidade sentida pelos profissionais de saúde e os coloquem como corresponsáveis deste processo.<br>Abstract : Infections in connection with health care constitute a problem of high relevance that must be constantly handled with the staff in order to control its incidence within health institutions. In view of the installed status, a resolution has been published whereby the implantation and permanence of the Health-related Infections Control Commissions are obligatory. Since the beginning, one of these commissions´ competences was the qualification of health professionals with the purpose of promoting the prevention and control of infections in connection with health care. The professionals´ qualification is still recognized as an activity that is essential for the performance of these commissions. In 2004, considering the need of developing new policies aimed at qualifying human resources from the health sector in order to consolidate the Unique Health System, the Federal Government published the National Policy for Health Permanent Education with the objective of generating the favorable conditions as to the education and development of human resources for the health sector. This research had the objective of learning how Hospital Infection Control Services of medium- and large-sized hospitals from the Health Regions of Blumenau, Itajaí and Balneário Camboriú have developed the Permanent Education with the purpose of promoting the prevention and control of hospital infections. It is a research with qualitative approach, of the exploratory and descriptive type. The data collection was done by means of semi-structured interview with physicians and nurses of the Health-related Infections Control Commissions of medium- and largesized hospitals from the Health Regions of Blumenau, Itajaí and Balneário Camboriú of the State of Santa Catarina. The data were analyzed by the content analysis as proposed by Bardin. The research followed the principles of the Resolution 196/96, being submitted to the Committee of Ethics in Research with Human Beings of the Federal University of Santa Catarina, approved by the Opinion no. 2293/2012. The results of this study evidenced that the Health-related Infections Control Commissions have made efforts in order to develop education among health professionals of their institutions as well as the importance they assign to education for the development of actions in order to prevent and to control infections. The structure of this process is organized from the elaboration of annual schedules that comprise the most relevant issues for the field of infections control and prevention. Such construction counts on the participation of physicians and nurses from most commissions and sometimes of other professionals as well. It has also been noted that in most of the commissions, the nurse is the professional that develops all educational program related to the infections control in the hospital environment. Meanwhile, the physician who develops the activities in the Commission is exempted from such responsibility before health professionals as well as regarding education before medical peers. It is also outstanding the difficulty found by all the Health Care-related Infections Control Services in comprising and reaching the physicians within this educational process with the purpose of promoting the control and prevention of infections. Upon investigating the means utilized to reach this objective, there are expositive classes with presentation of slides, practical activities, group dynamics, divulgation of protocols with care routines, technical visits to the sectors and units with feedback of the results to the involved parties by pointing out the conformities and non-conformities found as well as presenting suggestions to modify the local reality. One perceives that the educational processes developed by the Health Care-related Infections Control Services are close to the recommendations of the National Policy of Health Permanent Education when they try to find in the professionals´ daily routine, the main problems and difficulties and work them with the health staff by means of educational activities. However, there is still predominance of the utilization of traditional teaching and learning methods as well as a lack of the utilization of active and problem-raising methodologies in these educational processes. The professionals in charge of infection control must initially consider the needs of health professionals and should call them to become co-responsible in this process.
Descrição: Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciencias da Saude, Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Florianópolis, 2012.
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100381
Data: 2012


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização
313863.pdf 2.329Mb PDF Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar