Resposta da macieira e fluxo de nitrogênio em um solo submetido à aplicação de fontes de nutrientes e manejo de plantas de cobertura

Repositório institucional da UFSC

A- A A+

Resposta da macieira e fluxo de nitrogênio em um solo submetido à aplicação de fontes de nutrientes e manejo de plantas de cobertura

Mostrar registro completo

Título: Resposta da macieira e fluxo de nitrogênio em um solo submetido à aplicação de fontes de nutrientes e manejo de plantas de cobertura
Autor: OLIVEIRA, BRUNO SALVADOR
Resumo: O estado de Santa Catarina (SC) possui a maior área cultivada com a macieira do Brasil. Em geral, a macieira é cultivada em solos com médios a altos teores de matéria orgânica, que conferem boa disponibilidade de nitrogênio (N). Porém, aplicações de diferentes fontes do nutriente são necessárias para repor ao solo a quantidade de N exportada via fruto. Assim, pode-se causar impacto no estado nutricional e na produção das plantas. Mas parte do N aplicado pode ser lixiviado no perfil do solo. Além disso, espécies de plantas espontâneas são cultivadas e manejadas nos pomares e podem minimizar as perdas de N por lixiviação. No entanto, podem competir por nutrientes e água com a macieira, interferindo no seu estado nutricional e na sua produção. O presente trabalho objetivou avaliar a resposta da macieira e o fluxo de N no solo e na solução em pomares submetidos à aplicação de fontes de nutrientes e com manejos de plantas espontâneas. Foram conduzidos 2 experimentos no município de Urubici (SC). O experimento 1 foi realizado para avaliar a resposta da macieira e o fluxo de N no solo e na solução, em um pomar submetido à aplicação de diferentes fontes de N. O experimento 2 foi realizado para avaliar a resposta da macieira e fluxo de N no solo e na solução, em um pomar submetido aos diferentes manejos de plantas espontâneas. Nos dois experimentos foram avaliados a produção, o teor de N nas folhas e parâmetros de crecimento, bem como o teor de N no solo e na solução. A aplicação de diferentes fontes de N na cultura da macieira não afetou os parâmetros de crescimento, tampouco a produção. Porém, alteram as formas de N-mineral no perfil do solo, podendo aumentar o sincronismo entre a liberação e a absorção de N pelas plantas. Mas, pode potencializar as perdas de N-mineral por lixiviação. Os manejos de plantas espontâneas como o dessecamento na linha de plantio pode alterar os parâmetros de crescimento da macieira, e a concentração do N-mineral no solo e na solução do solo aumentando os riscos de perdas por lixiviação.
Descrição: TCC (graduação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Curso de Agronomia.
URI: http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/100117
Data: 2012-12-11


Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização Descrição
Bruno Salvador Oliveira.pdf 405.2Kb PDF Visualizar/Abrir PDF

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro completo

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta

Estatística

Compartilhar